Entrevista - Jornal Folha de Irati - S.O.S. Amigo Bicho para de funcionar por falta de recursos


2

S.O.S. Amigo Bicho para de funcionar por falta de recursos

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010



Desde 2004, a ONG (Organização Não Governamental) S.O.S. Amigo Bicho vinha desenvolvendo em Irati um trabalho que ia além da recuperação de animais, um trabalho de solidariedade e amor com os bichinhos.

Na última semana, porém, uma triste notícia foi repassada pela presidente da entidade, Andrea Leite: a paralisação das atividades por tempo indeterminado.

Segundo ela, a S.O.S. Amigo Bicho já vinha passando por dificuldades financeiras, pois o custo com remédios, intervenções cirúrgicas e ração acontecia apenas com a colaboração das pessoas envolvidas na causa, e também com recursos próprios.

“Acumulamos uma dívida de mais de R$ 8 mil, e tivemos que parar com as atividades, pois não temos verba para continuar o trabalho que vínhamos fazendo há seis anos”, afirma.

Outro problema que a ONG ainda encontra é o acúmulo de animais nas próprias residências de seus colaboradores, que passavam de 130 bichos. “O objetivo da entidade era a recuperação de animais debilitados e o encaminhamento para adoção, mas as pessoas estavam distorcendo o nosso trabalho e achavam que as nossas residências eram depósito de animais”, lembra.

Durante todos esses anos, a entidade propôs vários projetos às representações políticas. Com base em modelos de projetos de outros municípios, a presidente da entidade formulou a construção de um centro de zoonose, cujo objetivo era o trabalho de canil público, controle de população canina, castração e atendimento veterinário.

“Seria um espaço adequado, para que principalmente fossem feitas as castrações desses animais para sua doação”, lembra Andrea.


CONSCIENTIZAÇÃO
Um dos problemas enfrentados pelo município é a falta de conscientização das pessoas que deixam seus animais livres nas ruas. Consequentemente, esses bichos promovem o caos, revirando lixo, defecando nas calçadas e também colocando em risco a segurança de crianças e a saúde pública.

Além disso, o abandono dos animais de estimação cresce a cada dia, segundo Andrea, principalmente de fêmeas com seus filhotes, que são soltos à beira de estradas e em casas de família. “As denúncias de abandono acontecem até cinco vezes ao dia, e muitas vezes são os próprios donos que ligam para que nós busquemos os animais. Isso já estava ultrapassando nossos limites”, lembra. 

Nos bairros, o problema é ainda maior, quando falamos em aumento de população canina. Segundo a presidente, nos bairros de maior vulnerabilidade deveria ser feito um trabalho ainda mais intenso de conscientização e de castração.


SOLUÇÕES

Para que a ONG volte às suas atividades, o primeiro passo, segundo a presidente, é que a dívida constituída seja paga, “Temos o compromisso de quitar as dívidas com as pessoas que, de alguma forma, também colaboraram, muitas vezes cobrando um valor menor do que o de mercado para possibilitar as operações, rações e tratamentos necessários de alguns cães”.

Num segundo momento, uma das propostas da entidade seria uma subvenção mensal, a disponibilização de um profissional veterinário e de remédios para que possa dar um suporte maior para o Amigo Bicho.

“Infelizmente, as ideias apresentadas precisam de recursos e, para isso, da mobilização de empresários e do poder público para que o município acabe não tendo um descontrole de animais soltos em ruas”, ressalta Andrea. 


PREFEITURA

Segundo o prefeito Sergio Stoklos, é do conhecimento o alto índice de abandono e da necessidade de um local próprio para abrigar e cuidar daqueles que necessitam.

“Ano passado aconteceu uma reunião entre os membros da entidade e disponibilizamos um terreno no parque industrial, de 8 a 12 mil m², para que seja construído um local apropriado”, ressalta o prefeito.

Sergio ainda disse que a prefeitura entraria com uma contrapartida de R$ 30 mil para a construção e obras necessárias. “A proposta continua valendo caso haja o interesse da entidade, pois é de nosso interesse manter a ordem e a saúde pública”, afirma.

Agora, resta esperar para que esse problema seja solucionado e os projetos realizados, porque quem mais sofrerá, caso a ONG tenha seus trabalhos interrompidos, serão os animais indefesos e abandonados, que não poderão receber cuidados especiais.


2 Response to "Entrevista - Jornal Folha de Irati - S.O.S. Amigo Bicho para de funcionar por falta de recursos"

  1. Anônimo says:

    É um absurdo que o poder publico se omita e deixe a responsabilidade somente com os voluntários da ONG, que a mantém com recursos próprios (do próprio bolso). Não entendo, como falam em construir "teatro" numa cidade do porte de Irati, que convenhamos, não tem cabimento este projeto. Ao invés de acabar com o problema do abandono, destinar recursos pra isso (campänha de castração para os animais da população carente, campanha de posse responsavel etc). Sendo o prefeito um médico, ele, mais do que ninguém deveria estar a frente deste projeto, inclusive subsidiando verbas para a ONG, mensalmente. Isso é um problema de saúde pública, mas como cães, gatos, cavalos não votam, os politicos se omitem. Uma vergonha para Irati, uma vergonha para o Dr. Sergio Stoclos. E espero, sinceramente, que a população de Irati evolua e comece a despertar para o problema dos animais abandonados, pois eles sofrem, assim como nós. Só que, compaixão, não é um sentimento que brota no coração de todos, infelizmente. Votem melhor na proxima eleição!
    RK - ativista dos direitos dos animais -Curitiba - Paraná

    gabriel says:

    qual é o futuro do nosso planeta?

Postar um comentário